O que podemos aprender sobre antidepressivos e crime violento com base num estudo da PLOS Medicine?

Um artigo publicado nos Blogs da Plos (The Public Library of Science), assinado por James Coyne, PhD, e Psicólogo Clínico em Groningen, Holanda, aborda um estudo de larga-escala publicado no PLOS Medicine sobre a associação entre o uso de antidepressivos e o crime violento, cujos resultados têm sido mal interpretados, em especial por quem não o leu. Mas mesmo entre quem tenha lido, salienta o autor do artigo, pode passar despercebida alguma ambiguidade existente nos resultados.

O estudo em causa, acessível aqui, mostra que não parece existir um risco de crime violento nos indivíduos com mais de 25 anos que utilizam antidepressivos. Contudo, nos jovens e adolescentes regista-se um risco modesto, mas não significativo, que pode estar relacionado com outras variáveis, como consumos associados de álcool e outras substâncias ou a toma irregular da medicação.

Os autores do artigo científico tecem algumas recomendações: uma atenção especial ao diagnóstico e tratamento adequado dos adolescentes, bem como a promoção da sua educação terapêutica, em particular a sensibilização para potenciais efeitos adversos aquando do uso associado dos antidepressivos com outras substâncias.

Leia aqui o artigo “What we can learn from a PLOS Medicine study of antidepressants and violent crime