Andrew Solomon e o demónio da depressão

Nascido em Nova Iorque, em 1963, Andrew Solomon é um escritor e ensaísta norte-americano que lançou recentemente em Portugal o livro “O Demónio da Depressão”, onde descreve a sua experiência pessoal e vários aspetos da depressão, pois defende e acredita que conhecimento é poder.

Andrew Solomon sofre de depressão crónica. Depois de um período de crise, buscou tratamento, fez psicoterapia e tomou medicação. Procurou informação e percebeu que existiam alguns livros sobre o tema, mas não de forma concentrada. Não havia um livro que falasse dos sinais e sintomas, de um testemunho pessoal, de quem sofra da doença, nem de investigação feita ou possíveis tratamentos.

Em 1998, escreveu o artigo “Anatomia da Melancolia”, onde falou da sua experiência e abordou também diversos aspetos da doença. Foi este o ponto de partida para uma investigação mais profunda, que transformou esse artigo no livro “O Demónio da Depressão”.
Falou com outras pessoas que sofreram de depressão e com médicos, políticos, legisladores, entre outros, para abordar a depressão em diversos aspetos, dos psicológicos aos farmacológicos, sociais, políticos e culturais.

O livro chega a Portugal 15 anos depois, mas o autor diz que ele está muito atualizado, pois factos como o que é a depressão e quais são os seus sinais não mudaram muito ao longo do tempo. Acrescenta ainda que o tratamento melhorou um pouco, mas que isso se deveu mais à consciencialização da doença e de quantas pessoas ela realmente afeta do que a avanços científicos a nível da medicação. É exatamente por isso que o livro se tornou mais urgente com a passagem do tempo e é ainda mais pertinente agora.

O estigma continua em muitas sociedades e, embora a consciência da dimensão do problema tenha melhorado, o autor diz que muitas pessoas sabem das estatísticas mas mantém a sua depressão em segredo. Ainda existe a ideia de culpa e responsabilidade que, segundo Solomon, é uma distração da questão real, o estigma ainda existe, não reduziu tanto como devia.